Mundo virtual x real: a discrepância de atitudes

Às vezes, vejo postagens reluzentes de algumas pessoas nas redes sociais, que me cativam por suas mensagens otimistas, alegria, colorido, boa intenção, lazer  estimulante ou paixão pelo que fazem profissionalmente.  Mas para meu espanto, o encantamento termina assim que cruzo com elas na rua ou preciso falar por telefone. Como aconteceu esses dias, em que fui tão grosseiramente atendida em uma ligação, que a linda imagem da moça destruiu-se imediatamente. Sabemos que as atribuições da vida ou do ambiente corporativo podem ser exaustivos, estressantes e nos deixar no modo automático. Mas quem topa com a gente não tem nada a ver com  isso, muito menos o dever de aturar nossa rabugice.

Igualmente me deixa desconcertada aquelas que são total simpatia em seus perfis e  comentários na internet enquanto na vida real não cumprimentam, não sorriem e tratam mal quem está ao seu redor.

Mesmo que convivamos mais tempo online do que pessoalmente, ainda não somos feitos de nenhum tipo de matéria virtual, temos pele e ossos, sentimentos, somos reais. Então, de nada adianta irradiar tanta positividade nas redes sociais e ser grossa e mal-humorada no velho telefone, na calçada ou na fila de espera.

O tempo é igual e costuma ser acelerado para todos. Cada um de nós tem sua rotina agitada, seus afazeres muitas vezes desgastantes. Se atendeu ao telefone, trate quem está do outro lado com o mínimo de educação. O mesmo vale em relação a quem encontrar no supermercado ou no banco.

Não, rispidez e arrogância não passam imagem de uma pessoa atarefada, competente, ocupada, produtiva; geralmente escancaram que a pessoa vive em desequilíbrio, tem conflitos e sente-se insatisfeita e infeliz.

Educação, simpatia, paciência, gentileza – características atraentes no mundo virtual -,  continuam sendo essenciais para a boa convivência no mundo real.

Nossa postura pessoal tem de ser compatível com a imagem que apresentamos nas redes sociais (e vice-versa).

É preciso ter equilíbrio entre o que postamos e o que fazemos.

Como dizem online #ficaadica.

Marciele Scarton – Palestrante / Na Cabeceira da Mesa